segunda-feira, 15 de maio de 2017

Qualificações Para o Serviço



"Por isso os Doze reuniram todos os discípulos e disseram: 'Não é certo negligenciarmos o ministério da palavra de Deus, a fim de servir às mesas. Irmãos, escolham entre vocês sete homens de bom testemunho, cheios do Espírito e de sabedoria. Passaremos a eles essa tarefa'." (Atos 6:2-3)

Se as pessoas perguntassem sobre você, começariam a identificar um padrão, seja ele bom ou ruim. Você tem uma reputação. A questão é: ela é boa ou ruim? Se você quer ser usado por Deus, precisa de uma boa reputação.

Vemos em Atos 6:3 que uma razão pela qual Estêvão foi escolhido para o serviço de Deus foi sua boa reputação. Isso significa que ele tinha integridade pessoal. O apóstolo Paulo, escrevendo a Timóteo sobre as qualificações para os anciãos da igreja, disse: "Também deve ter boa reputação perante os de fora, para que não caia em descrédito nem na cilada do diabo" (1 Timóteo 3:7). Ter uma boa reputação significa que as pessoas falam bem de você, até mesmo os não-cristãos.

Estêvão não só tinha uma boa reputação como também era "cheio de fé e do Espírito Santo" (Atos 6:5). Estar cheio do Espírito Santo significa viver uma vida controlada pelo Espírito. Significa ceder ao agir do Espírito a cada dia.

Havia outra qualidade que Estêvão tinha que o fazia ser usado por Deus: sabedoria. Vemos isso quando ele generosamente citou as Escrituras ao apresentar o evangelho ao Sinédrio. É possível ter conhecimento e não sabedoria, mas Estêvão tinha ambos.

Finalmente, Estêvão era fiel nas pequenas coisas. Ele diligentemente fez o que lhe foi atribuído - servir mesas.

Portanto, se você quer ser usado por Deus, seja fiel nas pequenas coisas. Você nunca será pequeno demais para Deus - apenas grande demais. Se você está disposto a fazer o que Deus quer que você faça e ser fiel nisso, basta observar o que Deus realizará através de sua vida.

Fonte: https://www.harvest.org/devotions-and-blogs/daily-devotions/2012-06-05

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Quais são as veredas antigas?


Por Odair José da Silva 

Assim diz o SENHOR: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas; mas eles dizem: Não andaremos nele. Jeremias 6:16.

O SENHOR Jesus Cristo conclama sua igreja a andar no caminho por Ele indicado. Um caminho que Ele conquistou com muita dor e sofrimento para que alcançássemos a eternidade com Ele. Andar no caminho não é fácil porque é um caminho estreito o que conduz a salvação. Esse caminho é o caminho que os heróis da fé trilharam e nos deu o exemplo para que seguíssemos. Quais são as veredas antigas? Aquelas trilhadas pelos patriarcas, profetas e apóstolos.

Essas veredas é o caminho do altar da oração, da comunhão com Deus e da santificação, percorrido por Abel, Abraão, Isaque, Jacó, Moisés, Elias e outros. Esses homens tiveram como objetivo na vida obedecer os mandamentos do SENHOR e trilhar as veredas da justiça. Mesmo em momentos de grandes dificuldades eles não desanimaram e continuaram a caminhada porque sabiam que Deus os tinham chamado para irem até o fim. Os desafios na vida deles foram enormes e, em alguns casos, até parecia impossível vencer esses desafios. Como não citar, por exemplo, a atitude de Daniel na Babilônia? Mesmo sabendo dos desafios e da ameaça de ser lançado aos leões ele manteve o seu objetivo de buscar a presença de Deus onde quer que fosse.

Oração, comunhão com Deus e a santificação são as veredas que temos que trilhar para vencermos esse mundo mal. A oração nos aproxima de Deus e Ele estreita com nós sua bondade e seu compromisso de nos ajudar. A comunhão nos desperta para sermos vitoriosos nessa jornada, as vezes, tão difícil de ser vencida. E a santificação nos diferencia do mundo corrupto e cheio de maldade. Segui a paz com todos e a santificação sem a qual ninguém verá a Deus. Palavras do escritor aos Hebreus inspirado por Deus.

São os caminhos aspergidos com o sangue de Jesus. Muitos estão trocando a aspersão do sangue de Jesus pelos prazeres do mundo. As veredas antigas foi conquistada com muito sofrimento por Jesus Cristo. Ele veio a esse mundo dar a sua vida em nosso resgate. Através do seu sacrifício temos a oportunidade de alcançar a salvação eterna. É necessário que o ser humano creia nEle e O aceite como Senhor e Salvador. Não há outro meio de alcançarmos a salvação. Só Jesus é o caminho.

O mundo oferece muitos prazeres e oportunidades que aos olhos do homem parece bons, mas a bíblia diz que o fim deles são caminhos de morte. O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a salvação em Cristo Jesus.

Que Deus em Cristo nos conceda a graça de sempre andarmos pelo caminho bom, pelas veredas antigas, para caminharmos, com confiança, aos braços do Senhor Jesus Cristo. Quem sabe você tem procurado solução para sua vida de sofrimento e não tem encontrado. Eis que te apresento Jesus Cristo. Ele é a solução para seus problemas. Ele é o caminho da vitória. Aceite-o e seja feliz. Jesus está te esperando.

Texto: Odair José, o Poeta Cacerense

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Não sabemos o que é Igreja


Por Ruy Marinho

Igreja não é templo, não é sinagoga, não é mesquita. Não é o santuário onde os fiéis se reúnem para cultuar a Deus. Igreja é gente, e não lugar. É a assembléia de pecadores perdoados; de incrédulos que se tornam crentes; de pessoas espiritualmente mortas que são espiritualmente ressuscitadas; de apáticos que passam a ter sede do Deus vivo; de soberbos que se fazem humildes; de desgarrados que voltam ao aprisco.

Igreja é mistura de raças diferentes, distâncias diferentes, línguas diferentes, cores diferentes, nacionalidades diferentes, culturas diferentes, níveis diferentes, temperamentos diferentes. A única coisa não diferente na Igreja é a fé em Jesus Cristo.

A Igreja não é igreja ocidental nem igreja oriental. Não é Igreja Católica Romana nem igreja protestante. Não é igreja tradicional nem igreja pentecostal. Não é igreja liberal nem igreja conservadora. Não é igreja fundamentalista nem igreja evangelical. A Igreja não é Igreja Adventista, Igreja Anglicana, Igreja Assembléia de Deus, Igreja Batista, Igreja Congregacional, Igreja Deus é Amor, Igreja Episcopal, Igreja Holiness, Igreja Luterana, Igreja Maranata, Igreja Menonita, Igreja Metodista, Igreja Morávia, Igreja Nazarena, Igreja Presbiteriana, Igreja Quadrangular, Igreja Reformada, Igreja Renascer em Cristo nem igrejas sem nome.

A Igreja é católica (universal), mas não é romana. É universal (católica) mas não é a Universal do Reino de Deus. É de Jesus Cristo, mas não dos Santos dos Últimos Dias. Porque é universal, não é igreja armênia, igreja búlgara, igreja copta, igreja etíope, igreja grega, igreja russa nem igreja sérvia. Porque é de Jesus Cristo, não é de Simão Pedro, não é de Martinho Lutero, não é de Sun Myung Moon, não é de Bento XVI.

Em todo o mundo e em toda a história, a única pessoa que pode chamar de minha a Igreja é o Senhor Jesus Cristo. Ele declarou a Cefas: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja” (Mt 16.18).

Não há nada mais inescrutável e fantástico do que a Igreja de Jesus Cristo. Ela é o mais antigo, o mais universal, o mais antidiscriminatório e o mais misterioso de todos os agrupamentos. Dela fazem parte os que ainda vivem (igreja militante) e os que já se foram (igreja triunfante). Seus membros estão entrelaçados, mesmo que, por enquanto, não se conheçam plenamente. Todos igualmente são “concidadãos dos santos” (Ef 2.19), “co-herdeiros com Cristo” (Ef 3.6; Rm 8.17) e “co-participantes das promessas” (Ef 3.6). Eles são nada menos e nada mais do que a Família de Deus (Ef 2.19; 3.15). Ali, ninguém é corpo estranho, ninguém é estrangeiro, ninguém é de fora. É por isso que, na consumação do século, “eles serão povos de Deus e Deus mesmo estará com eles” (Ap 21.3).

A Igreja de Jesus, também chamada Igreja de Deus (1 Co 1.2; 10.22; 11.22; 15.9; 1 Tm 3.5 e 15), Rebanho de Deus (1 Pe 5.2), Corpo de Cristo (1 Co 12.27) e Noiva de Cristo (Ap 21.2), tem como Esposo (Ap 21.9), Cabeça (Cl 1.18) e Pastor (Hb 13.20) o próprio Jesus.

A tradicional diferença entre igreja visível e igreja invisível não significa a existência de duas igrejas. A Igreja é uma só (Ef 4.4). A igreja invisível é aquela que reúne o número total de redimidos, incluindo os mortos, os vivos e os que ainda hão de nascer e se converter. Eventualmente pode incluir pecadores arrependidos que nunca freqüentaram um templo cristão nem foram batizados. Somente Deus sabe quantos e quais são: “O Senhor conhece os que lhe pertencem” (2 Tm 2.19). A igreja visível é aquela que reúne não só os redimidos, mas também os não redimidos, muito embora passem pelo batismo cristão, se declarem cristãos e possam galgar posições de liderança. É a igreja composta de trigo e joio, de verdadeiros crentes e de pseudocrentes. Dentro da igreja visível está a igreja invisível, mas dentro da igreja invisível nunca está toda a igreja visível. A Igreja de Jesus é uma só, porém é conhecida imperfeitamente na terra e perfeitamente no céu.

Fonte: http://bereianos.blogspot.com.br/2007/11/no-sabemos-o-que-igreja.html

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

O olho do furacão


"Aprendam a lição da figueira: quando seus ramos se renovam e suas folhas começam a brotar, vocês sabem que o verão está próximo. Assim também, quando virem todas estas coisas, saibam que ele está próximo, às portas." (Mateus 24:32-33)

A figueira, nas Escrituras, é um símbolo da nação de Israel. Em mais de uma ocasião Deus compara Israel a uma figueira. Em Oséias 9:10, Deus diz: "Quando encontrei Israel, foi como encontrar uvas no deserto; quando vi os antepassados de vocês, foi como ver os primeiros frutos de uma figueira. [...]" Quando Jesus disse: "Aprendam a lição da figueira..." Ele estava nos dizendo que o renascimento de Israel, ou a brotação da figueira, será um grande sinal dos últimos dias.

O profeta Ezequiel nos disse a mesma coisa. Foi dito a Ezequiel para permanecer ao longo de um vale de ossos secos. Então, Deus fez a Ezequiel uma pergunta: "Filho do homem, esses ossos poderão tornar a viver" (Ezequiel 37:3). E enquanto Ezequiel estava lá, os ossos voltaram a se juntar, e a carne voltou para os ossos. Então Deus interpretou por ele e disse: "Filho do homem, esses ossos são toda a nação de Israel. Eles dizem: ‘Nossos ossos se secaram e nossa esperança se foi; fomos exterminados’. Por isso profetize e diga-lhes: ‘Assim diz o Soberano Senhor: Ó meu povo, vou abrir os seus túmulos e fazê-los sair; trarei vocês de volta à terra de Israel." (versos 11-12). Deus está dizendo efetivamente que esses são o Seu povo retornando para a sua terra.

Quando Israel se tornou uma nação em 14 de maio de 1948, o relógio profético começou a contar. Israel está no olho do furacão do fim dos tempos. Ocupa o centro do palco no drama do Deus de todos os tempos. Como meu amigo Joel Rosenberg diz: Jerusalém é o epicentro dos acontecimentos mundiais. Deus previu isso há muito tempo. E estamos vendo isto ocorrer diante de nossos olhos.

Fonte: https://www.harvest.org/devotions-and-blogs/daily-devotions/2011-10-24

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Essa tal liberdade de escolha


Por Odair José da Silva

A liberdade de fazer escolha, ou um julgamento de acordo com a vontade leva-nos a uma encruzilhada: temos que escolher entre o que é melhor para nós mesmos ou o que é ético e de boa moral para a sociedade.

Essa tal liberdade, portanto, é a causa de nossas “angústias” diárias. Sempre estaremos diante de um abismo no alto de um penhasco. De um lado nos atormenta o medo de cair no abismo e do outro a vontade de pular para descobrirmos o que tem no vazio a nossa frente.

Dessa forma, o que é melhor para tomarmos a decisão é a nossa atitude em saber que em qualquer situação teremos uma conseqüência.

Ousar e sonhar são lados opostos de uma mesma moeda jogada ao ar.

Diante de Ló estavam às belas planícies de Sodoma. As campinas verdejantes enchiam os olhos. E porque não escolhe-las? Diante de Davi estava aquela beldade de mulher. Porque não possuí-la? Conseqüências trágicas por escolhas erradas.

Diante de José estava à linda esposa de Potifar dando-lhe moral o tempo todo. O que custava envolver-se com ela? Diante de Daniel estavam as suculentas comidas do palácio da Babilônia. Porque não se alimentar? Escolhas sábias que conduziram eles para o rol dos heróis da fé.

Nossas escolhas decidem o nosso futuro. E não é fácil tomar decisões sábias. Mas, é o melhor a fazermos.

Texto: Odair José, o Poeta Cacerense

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Ezequiel viu uma nave espacial?



"Enquanto eu olhava para eles, vi uma roda ao lado de cada um deles, diante dos seus quatro rostos. Esta era a aparência das rodas e a sua estrutura: Reluziam como o berilo; e as quatro tinham aparência semelhante. Cada roda parecia estar entrosada na outra. Quando se moviam, seguiam nas quatro direções dos quatro rostos, e não se viravam enquanto iam. Seus aros eram altos e impressionantes e estavam cheios de olhos ao redor. Quando os seres viventes se moviam, as rodas ao seu lado se moviam; e, quando se elevavam do chão, as rodas também se elevavam". Ezequiel 1:15-19

Pergunta: “J.F.Blumrich, um renomado engenheiro da NASA, escreveu um livro chamado The Spaceships of Ezekiel” [As Espaçonaves de Ezequiel]. Ele descreve uma nave com som de foguetes e fogo. É o que está escrito no primeiro capítulo de Ezequiel. A nave espacial aterrissa e decola, transportando Ezequiel de um lugar a outro. Podemos tirar nossas próprias conclusões. Ou vocês não concordam com essa explicação?”.

Resposta: Lemos no primeiro versículo de Ezequiel: “...se abriram os céus, e eu tive visões de Deus”. Essa declaração exclui a possibilidade de interpretar o que Ezequiel viu como sendo “naves espaciais”. Ele viu coisas indescritíveis, mas tentava descrevê-las com conceitos terrenos.

Jesus é nosso Senhor; Ele é Deus, e Deus é onipresente. Qualquer meio de transporte [dEle], concebido pela mente humana, é refutado pelas Escrituras Sagradas: “Mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (1 Co 2.9). Isso significa que todas as interpretações e concepções terrenas não se sustentam diante da realidade espiritual. Sabemos que a eternidade será indescritivelmente maravilhosa para aqueles que depositaram sua confiança na obra consumada de nosso Senhor Jesus Cristo.

(Arno Froese) 

Fonte: http://www.chamada.com.br/perguntas_respostas/nave_espacial.html

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Como andar com Deus



"Respondeu Jesus: 'Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento. Este é o primeiro e maior mandamento.'" (Mateus 22:37-38)

Quando os fariseus perguntaram a Jesus qual era o maior mandamento na Lei, Ele respondeu: "Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento. Este é o primeiro e maior mandamento." (Mateus 22:37-38)

Isso é conhecido como o Shema, algo que todo Judeu deve memorizar. Jesus estava efetivamente dizendo que, ao contrário de se preocupar sobre quais mandamentos eram maiores ou menores, eles simplesmente se voltassem a isto: ame a Deus com todo o seu ser, e todas essas coisas se dissolverão. Isso faz completo sentido, não é mesmo? Porque se eu amar a Deus com todo o meu coração, alma e mente, eu naturalmente vou querer fazer o que Ele quer que eu faça.

Jesus então continuou: "E o segundo é semelhante a ele: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas'." (Mateus 22:39-40)

Os Dez Mandamentos são divididos em duas sessões: Os primeiros quatro falam a respeito de nosso relacionamento com Deus. Os seis seguintes lidam do nosso relacionamento com as outras pessoas. Se eu amo a Deus de todo o meu coração, alma e mente, não vou querer ter outro deus além Dele, ou adorar um ídolo, ou usar o nome de Deus em vão. E se eu amo o meu próximo da mesma forma que amo a mim mesmo, eu não vou querer roubar nada dele, nem matá-lo, nem desejar alguma coisa que lhe pertença. A ideia é que se eu puder realmente compreender e viver a verdade básica de amar a Deus, então todas as outras coisas ficam em seus devidos lugares.

Amar a Deus com todo o seu coração, a sua alma e o seu entendimento significa amá-Lo com cada uma das partes do seu ser.

Fonte: https://www.harvest.org/devotions-and-blogs/daily-devotions/2011-10-03